10 dicas de como precificar e vender seu artesanato

Ao fazer o seu artesanato, uma dúvida muito comum que aparece é "Quanto devo cobrar pelo meu trabalho?". E sabemos também que, seja qual for o preço, sempre acham caro e pedem desconto, não é mesmo?

Pois bem, é hora de valorizar o seu talento, dar um preço justo, cobrir seus custos e potencializar seus ganhos. Quer saber como?

Preparamos algumas dicas, baseadas em mercado, conceitos econômicos e, claro, bom senso e honestidade. Leia abaixo:

Dica 1: Salário do artesão

O preço do artesanato deve incluir o salário do artesão. É necessário considerar esse valor, pois, caso o contrário será considerado apenas o valor referente às horas de produção e, no entanto, existem horas dedicadas à compra de matéria-prima, capacitação, presença em feiras e outras atividades.” (Fonte: Precificação no Artesanato, SEBRAE)

Pensando nisso, você deve estipular um valor/hora para seu trabalho!

Vamos supor que você deseja ganhar R$1.500,00 por mês com a venda de peças de crochê. Para saber quanto vale o seu valor/hora faça o seguinte cálculo:

Você trabalha 6 horas por dia (com a produção e horas dedicadas em outros afazeres) 5 dias por semana (6 horas x 5 dias = 30 horas por semana). Vamos pensar que no mês temos 4,3 semanas, então 30 horas x 4,3 semanas  ≅ (aproximadamente) 130 horas por mês!

Portanto, você trabalha 130 horas por mês! Agora, faça o seguinte cálculo para saber o valor da sua hora: R$1500,00 ÷  130 h = R$11,53... Sendo assim, SUA HORA VALE R$11,53. 

 

Dica 2: Custo do produto

Bom, agora que você já sabe calcular o valor da sua hora, vamos calcular o custo do produto. Exemplo: para fazer um sapatinho de bebê de crochê, você comprou 2 novelos de Anne 65 e cada novelo custa R$3,00, então seu gasto com material foi R$6,00. Levou 2 horas para a produção do sapatinho. Sendo assim, calcule: 2h x R$11,53 (valor da sua hora) + 6,00 (gasto com material) = R$29,06 (custo do sapatinho). Agora vamos pensar no percentual de lucro que é calculado por cada produto. Vamos supor que a sua margem de lucro é de 20%. Então, R$29,06 (custo do produto) x 20% (margem de lucro) ÷ 100 = R$5,80 (lucro) Valor final do produto = R$29,06 (custo do produto) + R$5,80 (margem de lucro) = R$34,87

Se você pegar o seu salário de R$1.500,00 e dividir pelo valor de 1 sapatinho R$34,87, para atingir o valor mensal do salário terá que produzir o total de 44 sapatinhos por mês ou aproximadamente 10 sapatinhos por semana (5 dias úteis).

 

Dica 3: Lembrando de calcular custos extras

O que é custo fixo?

“Consistem nos custos envolvidos na produção e no funcionamento da empresa e ocorrem independentemente da quantidade produzida e do volume de vendas. Exemplo: aluguel, internet, luz, telefone, etc...”

E custo variável?

“São os custos relacionados ao volume de produção e de vendas, ou seja, o custo é variável conforme a escala produtiva e de vendas. Exemplo: matéria prima, insumos de acabamento, embalagens e outros.”

No Manual de Precificação do Sebrae, fonte das duas informações acima, está disponível uma fórmula completa para precificar com base nos custos do produto:

 Como precificar artesanato

 

Dica 4: De olho na concorrência

Acompanhe sempre a concorrência, fique de olho nos preços praticados em sua região e procure acompanha-los. Afinal o preço é um fator decisivo na venda! 

Além disso, consulte sempre por quanto estão sendo vendidos produtos similares na internet, em marketplaces como Mercado Livre, Elo7 e até mesmo pelas redes sociais.

 

Dica 5: Invista em embalagens bonitas

Tão importante quanto o produto em si, a embalagem também tem importância na hora de encher os olhos do cliente. Aproveite sua aptidão para trabalhos manuais e capriche na hora de embalar seus produtos. É possível também personalizar a embalagem de acordo com cada cliente ou escrever uma nota sobre a produção do produto e agradecimento pela compra. Isso cria uma experiência diferenciada e uma relação mais próxima com o consumidor, criando confiança e credibilidade à sua marca.

 

 Dica 7: Defina seu público-alvo

Identificar o público para quem você está dedicando o seu trabalho é fundamental para criar produtos cada vez mais personalizados de acordo com o gosto dos seus consumidores. Por se tratar de peças de artesanato, é comum que você produza itens que tem mais habilidade e gosto pessoal, mas é importante levar em consideração também a procura e demanda pelo produto, para evitar o desperdício de matéria-prima e horas trabalhadas.

 

Dica 8: Vá para feiras

Uma boa estratégia para divulgar o seu negócio e aumentar o número de vendas é participar de feiras de artesanato. Em algumas cidades, existem iniciativas da própria prefeitura para promover esse tipo de trabalho. E também é uma grande oportunidade de "espionar" a concorrência.

 

Dica 9: Conheça os métodos de precificação

Há três formas de calcular o preço de um produto: markup; preço-teto e percepção de valor.

Markup: o equilíbrio entre os custos de produção, comercialização, distribuição e divulgação do produto, somados à margem de lucro. É o método mais utilizado e seguro para definição de preços.

Preço-teto: identificação do preço mais alto do produto, com base no mercado. A partir disso, são feitos ajustes para reduzir despesas com os custos, aumentar a produtividade e o lucro.

Percepção de valor: neste método, a percepção dos clientes é um fator crucial para o preço praticado. São considerados descontos, prazos, juros, atributos da marca e serviços adicionais para agregar valores ao produto.

 

Dica 10: Atenção ao fator de multiplicação

O fator de multiplicação é o que viabiliza dar descontos para vendas grandes, que em geral acabam oferecendo preços mais baixos aos clientes. Nesses casos, bastará retirar o fator de multiplicação do valor por peça.

Ele também serve para cobrir custos diretos ou indiretos que você ocasionalmente tenha esquecido de incluir nas despesas, como custos de uma loja virtual, taxa para expor em vitrines, estoque, etc.

 

Escrito com carinho por: Luis Marcelo H. S. Carvalho – Coordenador de E-commerce - African | Com revisão Co-autoria de: Joel Birkman - Gerente Geral - African.

Fontes: https://circulo.com.br/precificacao-quanto-cobrar-peca/
                http://www.programaredes.com.br/como-precificar-o-seu-trabalho-artesanal/

1 comentário

Maria de Lourdes Jacinto

Maria de Lourdes Jacinto

Bom dia sou Maria faço artesanato e não estou conseguindo saber lucros e prejuízo gostaria de obter mais informações sobre este manual

Deixar um comentário

Todos os comentários são moderados antes da publicação